PROJETO ESPAÇO ABERTO

atividades "cultura, educação, esporte, entreternimento

As faces

toquei na sua face
com a face do desejo
um breve toque de pele
no silêncio

eu a quero
ela o sabe
tudo é segredo
dentro de nós

nem mesmo sabemos
sobre o quê
nos impulsiona
esse prazer

um conto de sonho
nesse verão delirante
sob a linha do equador
um trato de amante

Tipologias

você é o meu tipo
ao amanhecer
como o sol
deflorando a névoa dos meus sentidos
ao anoitecer
como a lua
penetrando as nuvens dos meus sonhos
ao ser humana
essa condição da carne
um teatro de mímicas do prazer
ao ser musa
essa impossibilidade da alma
uma corrente de verdades da realidade
ao ser delírio
ao lado da cortina
ao ser delícia
essa fornalha que canta suores de malícia
esse mel entre pernas e dentes
uma palavra sussurrada da língua
como vírgula prolongada nas reticências…

Areias

juntei uma porção de areia
não vi o mundo refletido
nem tão pouco aquele amigo
nos grãos ao vento
revelados os segredos
a porta permaneceu aberta
sem mistérios
em uma hora de vida
a água muda a opinião
pois nada está parado
no rio da procissão
sem controle vivo os desejos
esses libertos sonhos
sem amarras
sem prisão

Check In Arivals Departures

meu bilhete de viagem
é a palavra
uma chave mestra
de abrir distâncias
nada faço por que quero
nem sim, nem não
são estradas que nos ligam
o fogo que arde
são estrelas que me aquecem
nessa escuridão não há medo
apenas nossos corpos como segredo
essas fagulhas são flores
brasas de abraços em pensamentos
o amor é uma estrela cadente do desejo
quantas estrelas há na sua constelação
nunca te vi
jamais te ouvi
somente te senti
assim hei de amar a ti
na noite que se desmancha
no dia que se prolonga
essa paixão eu vivi
eu toco você
você me toca
eu me toco
você se toca
canção

Carlos Mettal
O alquimista na plataforma de metal

do princípio ao fim, conflito

sendo a prisão da consciência

a única liberdade do ser

impotente é a assimetria

da relação com o outro

a eudade versus a outridade

não resume a única forma

da mediação interior

onde angústia não é silêncio

a capacidade da linguagem

desvirtua a compreensão

da transcendência do corpo

físico espiritual

não é de outra parte

e o mundo tem paisagens

desconhecidas

onde encontro dentro do coração

distantes das subjetividades

impotentes da força

o acúmulo nos mostra menos do que somos

“na realidade, o fato de ser é o que há de mais privado; a existência é a única coisa que não posso comunicar; posso contá-la, mas não posso partilhar…” (Levinas)

nesse verão, o sol de nega frente as nuvens

um exílio dentro de si

pássaros de palavras flutuam

na agonia do dia cinza

sem o sentido comum da tristeza

abro as janelas dessa caverna

um jardim de cérebro no vento

sem o meu vazio apenas o frio

se inscreve sob as palavras

na folha de papel

o nada e o eu sei

são as únicas fronteiras

que não precisam de orações

e mesmo assim

ainda houve tempo

de criar a Alma e Deus

morrer no paraíso da terra

e a ausência

essa inefável ceifadora do todo

não guarda nem mesmo o nada

eu sei

um infinito de qualquer lugar

pensamentos desnudos

são êxtases do corpo vestido

esse mesmo corpo que não ousas tocar

além da folha em branco a pena

vertigem libidinosa da página virgem

que devora os poemas da mente

antes que carta possa ser poesia

endereçada

conflitos de experiências

heróis sem peculiaridades tramitam

numa polifonia imiscíveis independências

as vozes e seus ecos contrários

o censo criando paradigmas

e modelando a nova concepção

de controle social

o tendencionismo

a sociedade tem a sua própria dinâmica da vida social

onde o si comunica-se com ela

a toda necessidade

um discurso elementar de diferenças.

Planejamento Urbano

Planejamento Urbano
Carlos MettalNos próximos 20 a 30 anos as grandes cidades buscarão com a aplicação de melhores focos relacionados ao desenvolvimento urbano, essa mudança.
Na urbanização, detectar os conflitos sobre as pesquisas, fato já corrente na atualidade na Europa e Norte América;
No saneamento, abastecimento, fornecimento, contando com a participação social.
Na democracia, a prática de políticas como um processo de despertar a população para essa complexidade que necessita da influência de sua participação.
A individualidade deve ceder o comando à coletividade, para torná-la apta ao processo tecnológico. Durante a sua desenvoltura, a comunidade deve incluir-se na sua continuidade, dentro do planejamento programado, principalmente observando a qualidade da execução dessa ação transformadora.
A diversidade de opiniões devem amparar-se sobre as inovações aplicadas, como um determinismo cultural e étnico na construção da sua real história, suas identidades preservadas.
Então, como fazer nossas instituições refletirem juntamente com seus professores, numa conversa flexível, e ajustar as visões de ambos sobre a mesma direção, incorporar todas as ideias com os seus cidadãos, vendo também a economia, a socialização, educação juvenil.
A meta também é o desenvolvimento sustentável, como uma opinião viral, diversos países já o fazem em suas pesquisas e realizações de avanços tecnológico, administrativo e com a gestão de toda a comunidade do local. A situação rural também deve ser, desde agora, observada para a plena execução do planejamento a longo prazo. Tomando as devidas medidas para as instalações de indústrias em áreas sensíveis do meio natural. Usaremos da tecnologia, como GPS para controle e determinação de coordenadas cruciais onde estejam detectadas as suas fragilidades ambientais. A poluição fará parte desse processo; ver o clima como ação cuidadora é o prisma desse planejamento seguir adiante com benefícios a ambos, tema e homem com as suas máquinas e o processo industrial danosos; haver-se-á as transformações na forma de se produzir outros artefatos para sua comodidade e conforto.
Esse gerenciamento, o social, é o ponto direto da equalização na construção desse sistema de comodidade auto sustentável.
As esferas tripartites devem assumir a sua autoridade em benefício da causa a ser mantida, a existência do natural na natureza. Essa governabilidade deverá ter a atração de companhias com suas taxas adjuntas serem a conformidade de sua rentabilidade garantida na atuação de suas atividades.
Nessa totalidade, almeja-se que o discente seja instruído ao nível da cidade com os desafios em seu caminho, acerca da urbanização colaborativa prevendo desastres e mudanças climáticas, escassez do acesso imediato aos recursos hídricos e fertilidade do solo.

Os Fluxos de metal

Os Fluxos de metal
Carlos Mettal

A Consciência, aqui deteremos por Fluxos, contínuo, invertido e a sua horizontalidade, as fases, anteriormente denominadas de consciência, inconsciência e subconsciência. A nominação de consciência a esse “elemento vivo”, aprisiona a expansão natural dessa atividade dos fluxos, assim, outras formas de consciência não aparecerão nesse contexto por divergir da preempção dessas relações, “estabelecidas em diferentes níveis”, ver os fluxos, citados acima, pois na sua contínua exasperação é a parte de um todo por não absorver na totalidade todas as informações obtidas, a sua racionalização; por ser invertido, ao ponto que essa é a forma do seu desenvolvimento embrionário, tendo a sua receptividade inerente à sua própria intervenção, pois aqui está em sua “prisão” de gestação; e a sua horizontalidade, o instante em que toda a emoção toma conta da razão, fluindo em liberdade e sem a intervenção de si, ao ponto que o impulso irracional a desperte em situações de pressão, perigo ilusório, mas determinante, pois ocorre dentro da sua fluxionalidade interna, pertence ainda a si mesma, mas sem a doutrinação da sua sequencialidade, o que ocorre na fase desperta, a interferência da naturalidade. Nem da antiquidade ou da historicidade, essa proximidade dos “objetivos comuns”, contudo, pertencente a esse estado, mesmo que ao fundo, o processamento do Cérebro quanto Mente, seja ambíguo, por ter (Ele) o seu próprio método, além do seu usuário adquirente do “compreender”, e acessar “esses níveis transcendentes é mantê-los em atividade após o rompimento da responsabilidade da interação experimental, assim comprovada como ação replicadora dentro da “outra consciência”, uma ressonância que o senso comum traduzirá em memórias de sonhos. Transpõe-se nesse instante a sua própria dimensão da ilusão e da realidade como um todo, completando-se na sua ânsia do acontecer por vir.
“A outra consciência”, permite-se ser conduzida, partindo da presunção do seu absorvimento sobre a exposição de si na “palavra”, que seja silenciosa, sem a sonoridade da fala, porém com estrondosa receptividade por ser coesa na sua auto sugestão, tida como natural, e em seguida, também poderá abstrair-se repugnando o interlocutor quando se prostar à sua errônea condição dessa absorvição como sua integralidade. Permanece enquanto não entende, parte na medida que seja confrontada por si, pois na singularidade própria, oculta a razão pelo ganho da emoção, como uma moeda de escambo, acorrentando-se aos espinhos por gostar do cheiro da flor…Foto 2667E001

A revolução do kit orgânico. Ou como garimpar R$ 360 milhões nas ruas de São Luís.

Publicado originalmente em Panakuí:

 

 O que você, como Prefeito, faria com R$ 360 milhões de reais/ano?

DSCN2206O que daria para fazer com 360 milhões de reais?

Todos os dias Um Milhão de Reais é jogado fora. Em 2013 o desperdício, em São Luís, chegou a R$ 360 milhões de reais. Até quando?

São Luís jogou fora, durante todo o ano de 2013, R$ 360 milhões de reais em resíduo orgânico doméstico.
São Luís produz cerca de 500 toneladas/dia de resíduo doméstico, a sobra de comida. Avaliado em R$ 2.00 o quilo, durante o dia o prejuízo, para a população, alcança a cifra de um milhão de reais. Multiplicando por 30 dias, vezes os 12 meses, atinge-se a cifra de 360 milhões de reais.
Além do prejuízo, o dano à natureza é gravíssimo. Todo o material recolhido pela prefeitura, com um custo elevadíssimo por tonelagem, acabou inchando ainda mais o esgotado Aterro Sanitário…

Ver original 204 mais palavras

PALESTRA SOBRE O lIVRO “Sítio Ecológico , um guia para Salvar a Terra”, com o Autor Moisés Matias

Publicado originalmente em Panakuí:

Ver original

(AudioBook) Civilização [Eça de Queirós]

(AudioBook) Civilização [Eça de Queirós].

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.